quarta-feira, outubro 15, 2008

Fábrica de amor



O quanto, menina, anseio
Beijar-te toda, teu seio,
Cabelos, pele e boca,
Levar-te ao delírio extremo,
Calar-te enquanto gemo,
Enquanto te faço louca...


Quero adentrar verdejantes
Matas, vales excitantes,
E me perder em desejos...
Quero atar-te junto a mim,
Fazermos amor sem fim,
Me consumir com teus beijos...


Enquanto estivermos longe
Me comporto como um monge,
Apenas ao teu dispor.
És meu sonho desejado,
Meu paraíso encantado,
Minha fábrica de amor!



Piero Valmart
Foto retirada da net

1 comentário:

Feiticeira disse...

Era tão bom ser o teu paraíso encantado, a tua fábrica de amor, saciar os desejos que tens, para nunca mais te largar!