segunda-feira, abril 20, 2009

Crónica de uma alma sombria



A minha forma humana está adormecida. Repousa nos doces lagos da inconsciência.
Vagueio pela noite, com o ânimo de um condenado que caminha para a execução.
O céu apresenta-se negro, cor com a qual não simpatizo. Recorda-me momentos que prefiro esquecer, dá-me calafrios.
O manto de estrelas, admito, é uma bela visão, mas perturbadora por causa da cor de fundo.
Porque é que não se pode colocar um fundo azul escuro?
Ninguém me sabe responder...
Cruzo-me com anjos, demónios, santos, pecadores, inocentes, estafermos, aldrabões.
Estou cansado. A eternidade é cansativa.
A luz da noite fere-me os olhos. Quero fechá-los, quero dormir, descansar.
Quero um pouco de paz... Só não sei como começar.



Toni
Imagem retirada da net

3 comentários:

Feiticeira disse...

Fiquei sem palavras para descrever o que senti ao ler o que está escrito aqui.
Toni, está Lindo!
Vindo de dentro, do fundo do teu coração, tão sentido.
Não te sintas sozinho, porque isso não estás nem irás estar.
Beijos Grandes para ti!

lumenamena disse...

A tua forma humana adormecida em pensamento e sentimentos longínquos, são o passado!
Vislumbras o céu negro com recordações, mas nessa visão contemplas as estrelas que dão brilho à vida, paz e harmonia.
O céu é sempre negro nesse sofrimento, o azul escuro só vai aliviar.
Deixa os pensamentos fluirem naturalmente e encontras saída para a paz.

Abraços!

Anónimo disse...

Uma vez disseram-me "A Paz está dentro de ti!"