sábado, abril 25, 2009

25 de Abril



Uma gaivota voava, voava,
assas de vento,
coração de mar.
Como ela, somos livres,
somos livres de voar.

Uma papoila crescia, crescia,
grito vermelho
num campo qualquer.
Como ela, somos livres,
somos livres de crescer.

Uma criança dizia, dizia
"quando for grande
não vou combater".
Como ela, somos livres,
somos livres de dizer.

Somos um povo que cerra fileiras,
parte à conquista
do pão e da paz.
Somos livres, somos livres,
não voltaremos atrás.



Ermelinda Duarte
Imagem retirada da net

2 comentários:

lumenamena disse...

Nesta Revolução os cravos foram símbolo.
A música foi o código para nova era.
Portugal cantou "O Povo é quem mais ordena, dentro de ti, ó cidade..."

Anónimo disse...

Também adoro este hino à liberdade.
Bj.
E