quinta-feira, abril 17, 2008

Lágrima


Cheia de penas me deito
E com mais penas me levanto
Já me ficou no meu peito
O jeito de te querer tanto


Tenho por meu desespero
Dentro de mim o castigo
Eu digo que não te quero
E de noite sonho contigo


Se considero que um dia hei-de morrer
No desespero que tenho de te não ver
Estendo o meu xaile no chão
E deixo-me adormecer


Se eu soubesse que morrendo
Tu me havias de chorar
Por uma lágrima tua
Que alegria me deixaria matar



Amália Rodrigues
Foto retirada da net

2 comentários:

Feiticeira disse...

Amália.... Foi uma respeitável e magnifica fadista que todos conhecemos!!!

Anónimo disse...

Este fado..Porquê este fado, aqui? Ainda a noite era uma criança era bem perto e soava, algures numa pequena Tasca onde as guitarras sabiam chorar